Especial 25 anos de The Smashing Pumpkins: parte final

Categorias Música
smashing pumpkins

Esta é a última parte do especial de cinco posts comemorativos dos 25 anos do The Smashing Pumpkins.

Depois da separação cada membro seguiu seu caminho, mas Billy Corgan não conseguiria se desvencilhar da marca Smashing Pumpkins por muito tempo.

Rotten Apples: coletâneas e carreiras solo.

 

Rotten Apples
Capa Rotten Apples.

Com o rompimento da banda vários materiais com coletâneas e Lados B inéditos foram disponibilizados. Rotten Apples, que continha dois discos. O primeiro com os maiores sucessos e o segundo com Lados B, chamado Judas Ø, foi lançado em 2001 como uma edição limitada junto com um DVD com todos os vídeos da banda desde 1990 até 2000. Os vídeos das apresentações e backstages de Earphoria Live também foram relançados no formato DVD junto com um CD com todas as faixas do DVD.

Também em 2001 Billy Corgan e Jimmy Chamberlin formaram o Zwan com Matt Sweeney e David Pajo nas guitarras e Paz Lenchantin no baixo e vocais de apoio. O disco Mary Star of The Sea foi o único da banda, que rapidamente se desfez lançando apenas o single Honestly.

Após o término do Zwan Billy fez pequenas turnês e shows com outras bandas. Jimmy resolveu seguir carreira solo e formou o “The Jimmy Chamberlin Complex” e em 2005 o álbum “Life Begins Again” foi lançado contando com a participação de Billy nos vocais de “Lokicat”.

James Iha seguiu carreira solo e fez pequenas participações com outras bandas, além de cuidar do seu próprio selo de gravação e em 2003 ele se juntou ao supergrupo A Perfet Circle com Maynard James Keenan, vocalista do Tool, participando do disco eMOTIVe de 2004, o grupo entrou em hiato nos anos seguintes, porém voltaram em 2010 com uma turnê de inéditas.

Em 2009 Iha formou o Tinted Windows junto com Taylor Hanson, integrante do Hanson, essa formação pouco provável resultou no disco de estúdio homônimo Tinted Windows que foi lançado junto com o single Kind of a Girl, a banda fez turnês pelos Estados Unidos, mas desde 2010 nada novo foi anunciado.

D’arcy Wretzky foi presa em janeiro de 2000 após ser flagrada comprando drogas. Depois de cumprir uma pena alternativa e se reabilitar D’arcy se isolou e não fez mais nenhum pronunciamento sobre a sua antiga banda, indo cuidar de sua fazenda sem envolver-se com novos projetos musicais.

Em 2008 ela e James Iha processaram a gravadora Virgin Records por usar as músicas dos Smashing Pumpkins como ringtones sem o consentimento deles. E em uma rápida aparição em julho de 2009 D’arcy deu uma entrevista para uma rádio em Chicago dizendo que não estava saudável o suficiente para dar continuidade a sua carreira musical.

A ex-baixista dos Pumpkins se envolveu em outro escândalo policial em 2011 quando foi presa por não comparecer ao tribunal quatro vezes para esclarecer a fuga dos cavalos de sua fazenda em Michigan, ficando seis dias na cadeia. E no mesmo ano ela foi  presa novamente, dessa vez por dirigir alcoolizada. Desde que saiu da banda em 1999 D’arcy nunca mais falou com Billy Corgan.

O retorno: Zeitgeist e novos membros.

Zeitgeist
Zeitgeist

Billy Corgan andou amargurado desde que o Zwan se separou e disparou acusações contra os ex-membros do Smashing Pumpkins James e D’arcy, dizendo que eles haviam acabado com a banda que outrora haviam ajudado a construir. James Iha, em resposta as lamentações de Corgan, disse que só Billy tinha o poder para acabar com o grupo e que assim o fez.

Então o ex-vocalista dos Pumpkins resolveu seguir carreira solo, mas não aguentou muito tempo. Em 2005 junto com o lançamento do seu primeiro disco solo: The Future Embrance, que contava com participações de Robert Smith, do The Cure, e com o single Walking Shade, anunciou que estava pensando em reunir o The Smashing Pumpkins.

Após um anúncio nos jornais Jimmy Chamberlin confirmou em 2006 a sua volta ao grupo e afirmou que ele e Billy estavam começando a compor coisas novas. Apesar dos rumores, James Iha e Melissa Auf der Maur, substituta de Wretzky, negaram sua participação no novo trabalho da banda e Jimmy declarou que D’arcy não queria participar da reunião. Restou então a Billy Corgan contratar novos membros e Ginger Reyes assumiu o baixo enquanto Jeff Schroeder se tornou o novo guitarrista, Lisa Harriton também foi anunciada como nova tecladista e backing vocal.

O novo e aguardado álbum Zeitgeist chegou às lojas em 7 de julho de 2007, após sete anos de hiato. Ele veio cheio de expectativa pelos fãs e junto vieram os singles Tarantula, Doomsday Clock e That’s The Way (My Love Is), mas o novo álbum não teve uma recepção muito boa e a banda reformada saiu em uma mini-turnê tocando em lugares pequenos, onde alguns fãs não aceitaram a nova fase da banda.

Em 2008 American Gothic, um EP de quatro canções, foi  lançado pelo iTunes e em CD, e em março do mesmo ano o single SuperChrist, uma volta ao som pesado o qual Billy sempre flertou, foi lançado como uma contribuição para a coletânea Guitar Center. G.L.O.W foi o último single desse ciclo.

Um DVD nomeado If All Goes Wrong contendo os bastidores da nova banda também foi lançado nesse período.

O novo Smashing Pumpkins ia tentando encontrar-se como as novas gravações e os shows em clubes menores, mas em março de 2009, após brigar novamente com Corgan, Chamberlin anunciou a sua saída definitiva da banda.

Faixas do álbum Zeitgeist:

1 – Doomsday Clock
2 – 7 Shades Of Black
3 – Bleeding The Orchid
4 – That’s The Way (My Love Is)
5 – Tarantula
6 – Starz
7 – United States
8 – Neverlost
9 – Bring The Light
10 – (Come On) Let’s Go!
11 – For God And Country
12 – Pomp And Circumstances

Vídeos promocionais da era Zeitgeist:

Tarantula

That’s The Way (My Love Is)

SuperChrist

G.L.O.W

Teargarden by Kaleidyscope

Teargarden by Kaleidyscope_cover
Teargarden by Kaleidyscope_cover

Billy Corgan acabou se tornando o único membro original da banda, que outrora fora considerada a mais rentável dos anos 90, e agora se encontrava perdido em uma década em que o rock alternativo não era mais tão relevante e os ritmos pop e eletrônicos dominavam tudo.

Apostando que o Smashing Pumpkins se tornara mais um conceito do que uma banda com integrantes fixos, Corgan anunciou em setembro de 2009 que tinha 44 músicas prontas para serem gravadas e que iria fazer isso aos poucos distribuindo as faixas gratuitamente pela internet num álbum conceitual chamado Teargarden by Kaleidyscope.

Nesse meio tempo ele trocou a baixista Ginger Reyes por Nicole Fiorentino, do Veruka Salt, se livrou da tecladista Lisa Harriton e através de um concurso encontrou o baterista Mike Byrne, a quem Billy chamou de “O baterista do futuro”. Até agora as faixas de Teargarden foram soltas na internet em três EPs com doze canções no total.

Em 20 de novembro de 2010 a banda retornou ao Brasil para se apresentar como Headliner do Planeta Terra Festival ,que ainda contou com o Pavement no Line Up.

Em 2011 Corgan anunciou que iria relançar os antigos álbuns da banda em edições especiais, até agora foram lançados Gish e Siamese Dream em forma de LP e CD.

Também em 2011 foi criado o Smashing Pumpkins Record Club (SPRC) que disponibiliza gravações raras da banda para download e nesse meio tempo a banda começou a trabalhar no seu sétimo álbum de estúdio.

Faixas de Teargarden by Kaleidyscope:

VOLUME 1: SONGS FOR A SAILOR

A Song for a Son
Astral Planes
Widow Wake My Mind
A Stitch in Time
Teargarden Theme

VOLUME 2:  THE SOLSTICE BARE

The Fellowship
Freak
Tom Tom
Spangled
Cottonwood Symphony

VOLUME 3

Lightning Strikes
Owata

Owata

Oceania

Oceania
Oceania

Oceania, o álbum mais recente, teve as suas faixas apresentadas em alguns shows do Pumpkins reformado e seu lançamento será agora em 19 de junho de 2012.

Estamos chegando ao fim desse especial e para mim, a banda que hoje se apresenta sob o título de The Smashing Pumpkins não é nem a metade do que foi na década passada e os integrantes atuais não podem ser comparados com D’arcy, James e Jimmy, que tinham uma personalidade e influências muito fortes. Considero o trabalho atual mais como uma carreira solo de Billy Corgan, sem ter que se desvencilhar da sua banda do passado.

Contudo Billy finalmente se encontrou nesse novo projeto e ele mesmo admite que não pode voltar no tempo, só pode continuar fazendo o que ele gosta.

Nesses 25 anos de existência o trabalho desses músicos se tornou a marca de uma geração e expressão de milhões de pessoas que se identificaram com as suas canções.

Apesar das brigas e desavenças (que toda banda grande tem) eles conseguiram garantir o seu lugar no Hall dos grandes artistas que o mundo já conheceu.

Parabéns The Smashing Pumpkins pelos seus 25 anos!

Faixas do novo álbum Oceania:

1 – Quasar
2 – Panopticon
3 – The Celestials
4 – Violet Rays
5 – My Love is Winter
6 – One Diamond, One Heart
7 – Pinwheels
8 – Oceania
9 – Pale Horse
10 – The Chimera
11 – Glissandra
12 – Inkless
13 – Wildflower

Sou formada em Artes Visuais, apaixonada por arte, música, livros e HQs. Editora nos blogs “Las Pretas” e “Sopa Alternativa”, também colaboro com o “Delirium Nerd” e “Blogueiras Negras”.

Deixe uma resposta