Beirut e as suas mais belas canções

Categorias Música

Em 2009 o Beirut se tornou relativamente conhecido aqui no Brasil por causa de sua música Elephant Gun, trilha sonora da minissérie Capitu e parte do EP de 2007 Lon Gisland. De lá pra cá a banda já chegou a se apresentar aqui no país e ganhou uma legião de fãs apaixonados por sua música. Além do próprio Zach Condon, vocalista da banda, declarar a sua paixão pelo nosso país.

O Beirut é a orquestra de Zach Condon, que aos dezesseis anos foi viajar pela Europa e teve contato com a música balcânica. A banda lançou o seu primeiro trabalho em 2006 e atualmente conta com três álbuns de estúdio e quatro EPs. Ao longo dos anos Condon teve contato também com orquestras mexicanas e com a música brasileira, chegando a regravar a música “O Leãozinho” de Caetano veloso.

Eu confesso que me apaixonei pela banda na primeira vez em que ouvi Elephant Gun e fiquei por muito tempo ouvindo todos os álbuns em looping e ao longo dos anos parece que Zach Condon tornou a música do Beirut cada vez mais bem feita e com uma personalidade única, as influências balcânicas, europeias, mexicanas e brasileiras, só fizeram bem a música do Beirut.

Pensando nisso selecionei sete das mais belas músicas que o Beirut já produziu para deixar a sua vida mais bonita.

Elephant Gun:

A canção mais famosa do grupo e uma das mais belas.

Postcards From Italy:

Esta música é pura nostalgia e eu duvido que você não vai se lembrar das tardes de domingo com a sua família.

Cherbourg:

Esta música faz parte do álbum The Flying Club Cup de 2007 e mostra que uma separação, apesar de triste, ainda pode ser bela.

The Concubine:

Parte do EP March of the Zapotec/Holland EP The Concubine é uma daquelas canções difíceis de se esquecer.

The Rip Tide:

Essa música está presente no álbum homônimo mais recente da banda e é a perfeita tradução de se estar à deriva.

East Harlem:

“Another rose wilts in East Harlem
And uptown downtown a thousand miles between us…”

O Leãozinho:

Zach Condon demonstrou toda a sua admiração pela música brasileira ao regravar “O Leãozinho” de Caetano Veloso, a música ficou uma graça com Condon e o seu sotaque desajeitado.

 

Sou formada em Artes Visuais, apaixonada por arte, música, livros e HQs. Editora nos blogs Las Pretas e Sopa Alternativa.


Deixe uma resposta