Tina Turner a rainha do rock completou 80 anos em 2019 e ao longo de sua carreira de sucessos dividiu o palco com grandes nomes da música, fazendo parcerias inesquecíveis e marcantes.

Selecionamos cinco grandes parcerias da cantora que vão de Cher a David Bowie. Tina Turner abalou as estruturas e mostrou porque é considerada a eterna rainha do rock.

Cher

Tina Turner e Cher
Tina Turner e Cher nos anos 1970. Imagem: reprodução.

No final dos anos 1970 Tina Turner estava tentando reconstruir sua carreira após conseguir fugir do relacionamento abusivo com Ike Turner. A sua carreira bem sucedida com o grupo Ike&Tina Turner abriu diversas portas para a cantora e uma delas foi em forma de amizade com a cantora, atriz e também apresentadora Cher.

Ela se apresentava frequentemente no programa de Cher nos anos 1970 e após a separação de Ike, Cher foi a primeira pessoa a estender a mão para Tina e a convidar para participar de seu programa na TV novamente.

David Bowie

Tina Turner e David Bowie
Tina Turner e David Bowie no video de Tonight. Imagem: reprodução.

Tina Turner mantinha uma relação de amor e admiração com o camaleão David Bowie. Ele foi um dos responsáveis pelo retorno seu estrondoso nos anos 1980 e também foi uma das pessoas que mais a apoiou quando ela precisou se reerguer e dar outro rumo em sua carreira.

Leia também:
Mulheres Negras no Rock: Parte 2 – Tina Turner, Odetta e os anos 60
David Bowie volta para as estrelas – Adeus ao Camaleão do Rock
10 grandes parcerias de David Bowie

Após se separar de Ike, Tina passou a fazer alguns shows para pagar as dívidas deixadas pelo rompimento repentino de seu grupo e o divórcio com o músico. Em um desses shows Bowie apareceu de surpresa e anunciou que estava lá só por causa dela, ajudando assim a aumentar o respeito da indústria por ela.

Nos anos 1980 os dois fizeram diversas parcerias nos palcos, sendo a mais marcante na música Tonight, onde David sussurou algo no ouvido da cantora e que permanece em mistério até hoje.

Bryan Adams

Tina Turner e Bryan Adams
Tina Turner e Bryan Adams. Imagem: reprodução.

Bryan Adams com certeza é a parceria que rendeu mais química com Tina. Bryan, que na época era um jovem músico, acabou se dando bem com uma já experiente Tina Turner e os dois colocavam fogo nas apresentações.

Tina custumava dizer que ele era um garoto jovem a bonito e essa química rendeu canções como It’s Only Love.

Mick Jagger

Tina Turner e Mick Jagger
Tina Turner e Mick Jagger. Imagem: reprodução.

O líder dos Rolling Stones também mantinha uma relação de amor e admiração com a cantora e, apesar dos rumores, os dois tinham apenas uma relação íntima de amizade, mas nunca foram amantes. O que não impediu Jagger de tirar a saia da cantora no palco na icônica apresentação do Live Aid em 1985.

Mick Jagger conheceu Tina Turner quando ela ainda excursionava com Ike nos anos 1960 e, segundo Tina, foi ela quem ensinou Jagger a dança que se tornou a sua marca registrada. O cantor também foi uma das pessoas que mais apoiou Tina no seu retorno triunfal nos anos 1980, ele e David Bowie tratavam Tina como alguém do mesmo nível que eles e todo esse poder transbordava nos palcos.

“Acho que eles gostavam do que viam – uma mulher que os encarava vocalmente, que encarnava o espírito do rock and roll nos palcos e que parecia estar se divertindo. David sempre dizia: ‘Quando você dança com Tina, ela te olha nos olhos’. Nós éramos parceiros. Iguais, na época, não havia mulheres que cantavam e dançavam como eu”. – Conta Tina em sua autobiografia.

Beyoncé

Tina Turner e Beyoncé
Tina Turner e Beyoncé. Imagem: reprodução.

Após várias décadas de sucesso, abrindo portas para outras mulheres negras no mainstream e na música pop, Tina viu o seu legado tomar forma na cantora Beyoncé, a atual rainha do pop. Em meados dos anos 2000 Tina Turner estava ensaindo uma aposentadoria quando recebeu um convite para cantar ao lado da outra rainha Beyoncé.

Beyoncé já havia feito um cover de Proud Mary, canção que é marca registrada de Tina. Ela assistiu a apresentação de Beyoncé e aprovou. Assim as duas resolveram unir forças em um momento que acabou entrando para a história e foi icônico do começo ao fim. Mostrando que o legado de Tina Turner está em boas mãos.