The Jesus And Mary Chain fez chover no Cultura Inglesa Festival

Categorias Música
The Jesus and Mary Chain

No último domingo, dia 25 de maio, aconteceu o 18º Cultura Inglesa Festival no Memorial da América Latina. O dia amanheceu chuvoso e, apesar das minhas preces, continuou assim até a noite. A preguiça tomava conta e por pouco não me impediu de me locomover até a Barra Funda, apenas uma coisa era mais forte: a vontade ver o Jesus And Mary Chain pela primeira vez.

Conheci o Jesus ao ouvir Darklands, gostei muito e até hoje ouço todo dia, mas me apaixonei mesmo pela banda quando ouvi Just Like Honey, a partir daí virei fã de carteirinha. Nem preciso falar da importância deles e se você não sabe pare de ler o post aqui. Para a minha alegria eles viriam ao Brasil tocar de graça em São Paulo, mas não poderia ser tão fácil assim…

Confesso que devido a chuva não pude ver as primeiras atrações do festival, cheguei um pouco antes do show dos Los Campesinos e dei uma rápida circulada pelo local. De cara deu pra ver que melhorou um pouco em relação a edição passada e a comida estava decente pelo preço que era.

A praça de alimentação trouxe o menu da edição especial da Feirinha Gastronômica, inspirada no festival. O cachorro quente deste ano foi mais decente do que o roubo que era no ano passado, além do fish and chips inglês verdadeiro (sério sempre achei comida de festival zoada, mas servir nuggets de peixe e batata frita é sacanagem). Ponto positivo pela melhora, mas muitos reclamaram da falta de bebidas alcoólicas, para mim não fez falta.

As seis da tarde a banda Los Campesinos entrou no palco com o seu indie genérico, não achei a banda ruim, mas também não me empolgaram. Tudo o que eu pensava era quando ia começar o show do Jesus, estava frio e chovendo e apesar do vocalista da banda agradecer imensamente a oportunidade de tocar no Brasil eu não repetiria a dose.

Lá pelas sete e meia finalmente o Jesus entrou no palco, a chuva tinha dado uma parada e a banda dos irmãos Jim e Willian Reid pode mostrar do que era feita. Snakedriver abriu o show, mas infelizmente o som estava dando problemas e a banda estava sem retorno (o mesmo aconteceu no show do Magic Numbers no ano passado). Eles tiveram que parar algumas músicas no meio e começar de novo incluindo a minha amada Just Like Honey.

Um dos melhores momentos do show, com uma ajuda de São Pedro, foi quando Jim Reid anunciou Happy When It Rains e depois de abrir os braços a chuva voltou a cair especialmente para aquela música.

Apesar de eu  ter gostado do show, a minha decepção ficou por conta de Just Like Honey: a banda parou no meio da música por causa dos problemas de retorno, e Jim Reid cantou meio que perdido com as mãos no ouvido porque não estava se ouvindo, além da recepção do público parecer meio fria.

A banda saiu do palco irritada (com razão) e com cara de que não queria voltar, mas quando retornaram para o BIS o som havia melhorado, The Hardest Walk e Taste of Cindy valeram pelo show inteiro.

Ouvi alguns comentários de que Jim foi antipático e bla bla bla, porque o público brasileiro acha que os artistas gringos tem que vir aqui e babar o ovo para o Brasil, como fizeram os Los Campesinos, mas eu respeito muito quem não faz isso. E levando em consideração o fato de que ele costumava cantar de costas para o público eu achei ele até simpático.

No geral o show foi bom e valeu a pena sair de casa num dia frio e chuvoso.  Eles não tocaram tudo que tinham para tocar e eu fiquei com um gostinho de quero mais.

Com certeza eu quero mais The Jesus And Mary Chain e que venham mais shows!

SETLIST:

Snakedriver
Head On
Far Gone and Out
Between Planets
Blues From a Gun
Teenage Lust
Sidewalking
Cracking Up
All Things Must Pass
Some Candy Talking
Happy When It Rains
Halfway to Crazy
Just Like Honey

BIS:
The Hardest Walk
Taste of Cindy

Sou formada em Artes Visuais, apaixonada por arte, música, livros e HQs. Editora nos blogs Las Pretas e Sopa Alternativa.


Deixe uma resposta