Sandman: Prelúdio

Categorias Leituras

SandmanSandman foi uma série de quadrinhos muito cultuada nos anos 90, com uma trama cheia de mitologia e personagens interessantes, marcou época e até hoje tem leitores fiéis, especialmente no público feminino. Criada por Neil Gaiman e publicada pela editora Vertigo, conta a história de Sonho ou Morfeus, o Senhor dos Sonhos e um dos Perpétuos. A série foi lançada em janeiro de 1989 e durou até 1996. Contando a saga de Morfeus. Após ser aprisionado por 70 anos em uma câmara mágica e ver o seu reino ruir, ele consegue escapar e precisa reconstruir o Sonhar e recuperar os seus artefatos mágicos.

Essa é a sinopse de Prelúdios Noturnos, o começo da história que gerou ao todo treze sagas antes do seu fim em 1996.  Ao longo dos anos a série gerou alguns volumes especiais e ganhou quatro volumes de edições definitivas nos anos 2000, além de volumes avulsos, como os “Caçadores de Sonhos” e “Noites Sem Fim”. Em 2013 Neil Gaiman trouxe uma história inédita do Senhor dos Sonhos e matou as saudades dos fãs da saga.

Em Sandman: Prelúdio conhecemos a história anterior a captura de Morfeus por 70 anos. Escrita por Neil Gaiman e ilustrada por J.H. Williams III, a série foi lançada no Brasil pela Panini em 2015 e conta com três volumes de luxo com dois capítulos em cada volume.

Sandman Prelúdio
“Vocês todos são eu, suponho.”

Em algum lugar do universo algo dá errado e um dos aspectos de Sonho morre, levando todos os outros aspectos dele mesmo a se reunirem e discutir o que houve e por que eles estão morrendo. Ao que tudo indica o universo está chegando ao fim e agora Morpheus tem que sair em uma jornada para corrigir um erro seu.

Ao longo dos seis capítulos reencontramos personagens marcantes como o Coríntio, Merv Cabeça-de-Abóbora, Desejo, Morte, entre outros e conhecemos os “pais” dos Perpétuos, além de descobrirmos algumas histórias do passado do Senhor dos Sonhos. E, por fim, descobrimos como Morfeus ficou tão fraco a ponto de ser capturado por seres humanos comuns.

Sandman Prelúdio

A história começa em algum lugar distante do universo e depois somos levados ao ano de 1915, quando Sonho desapareceu, a narrativa caminha em várias linhas temporais para resolver os mistérios de Morfeus até ele se acertar com o seu “pai” e rever a sua “mãe”.

O layout de cada página é uma forma de entrelaçar a narrativa e os personagens muito além do “quadro-a-quadro”, cada página nos deixa dentro da cabeça dos personagens e da sua situação no momento, como quando Sandman encontra os outros aspectos de si mesmo percebemos a grandiosidade do evento com um pôster de página dupla e as suas infinitas variáveis de persona ou quando olhamos o mundo pelos “olhos” do Coríntio.

Os seis capítulos são uma viagem pelas várias facetas de Morfeus e sua reconciliação com os seus erros do passado que agora ecoam no universo. Ao fim de tudo o seu esforço dá resultados e ele tem que admitir que precisou de ajuda para cumprir a sua tarefa e acaba pagando um alto preço pelos caminhos que percorre.

Sandman: Prelúdio é a melhor forma de matar a saudade das histórias de Morfeus e seus irmãos ou até mesmo começar a conhecer a saga do Senhor dos Sonhos, que marcou época e é tão importante para cultura pop mundial.

Sou formada em Artes Visuais, apaixonada por arte, música, livros e HQs. Editora nos blogs Las Pretas e Sopa Alternativa.


Deixe uma resposta