* Por Ana Paula Porfírio

Negras no Metal está trazendo uma playlist sobre o dia 20 de Novembro em comemoração do mês da consciência Negra, e precisamos ter consciência de que a cena Rock and Roll, Punk, Hardcore, Metal foi construída pela população negra.

Essa lista vai desde a Sister Rosetta Tharpe a pioneira do Rock and Roll, uma mulher que enfrentou a barreira do racismo e machismo para ousar a tocar esse gênero musical tão aclamando por muito, mas que quase ninguém tem ideia que foi uma mulher negra e cristã que deu origem.

Também tem a banda brasileira de São Paulo a Útero Punk, com a Tati Góis no vocal, trazendo o seu ativismo feminino e negro na letras das suas músicas.

Veja também:
As mulheres negras no rock em 50 canções

Tamar Kali “a deusa guerreira do Hardcore que você precisa conhecer”. Letra contendo posicionamento político, a identidade de uma menina negra…

Odetta com suas músicas referente ao movimento por direitos civis.

Yvonne Ducksworth e a sua Banda Jingo de Lunch “Eu simplesmente não consigo ficar de boca fechada. Eu não vou ficar parada e concordar em ser abusada! Outras gerações de pessoas negras tiveram que fazer isso para sobreviver, mas seria um grande erro ao meu ver desonrá-las agora fechando a boca e ficando calada”.

Trina Mead a resistência negra no rock
“O nome Three5Human deriva de dois séculos atrás, quando os negros foram contados com ‘três quintos’ de uma pessoa…”

Toda atitude da dupla Nova Twins
“As pessoas nos esteriotipam… nós somos ambas mestiças e tocamos guitarra, então de imediato nós recebemos um ‘oh, garotas vocês vão tocar R&B e é tipo, se liga, vá estudar mais!”

“Nós somos mulheres negras tocando música pesada”.

Power Trio formado por mulheres negras
Big Joanie- “Eu não acho que você pode ser uma mulher e não ser política. Eu não acho que você pode ser uma mulher negra e não ser política. Seu corpo é uma força política”.

A família do rock
The New Respects- “Eu sei que muitas pessoas quando nos vêem pensam algo como ‘vocês vão fazer R&B ou algo Gospel; então eles nos vêem sair no palco com guitarras e eles então tipo: o quê?”

O Post Rock de Natalia Munroe da Banda Kali
“Quando eu tinha 13 anos, depois de sair da escola e ir para o ponto de ônibus, sentir alguém puxar minha mochila com muita força.
Era um garoto da mesma idade também, porém maior que eu. Ele gritava com uma convicção absurda para aquela época enquanto, apontava para minha mochila dizendo ‘você é preta, não pode gostar de rock, rock foi feito para os brancos, você tem que gostar de pagode!’ Naquele momento eu só apartei a minha mochila contra o peito e queria chorar, mas eu só conseguir olhar para ele e dizer ‘eu vou gostar daquilo que eu quiser'”.

Veja a playlist:

*Ana Paula Porfírio é criadora e administradora da página Negras no Metal.