Fome de Viver com David Bowie e Catherine Deneuve

Categorias Cinema

Fome de Viver

Fome de Viver (The Hunger no título original) é um filme de 1983 dirigido por Tony Scott, estrelado por ninguém menos que David Bowie, Catherine Deneuve e Susan Sarandon.

Na época o filme não fez muito sucesso com a crítica e foi um fracasso de bilheteria, mas logo se tornou um clássico cult, além de apresentar vampiros góticos e refinados nos anos 80, ele ainda contava com uma estética bem elaborada e uma trilha sonora ótima. Responsável por apresentar o Bauhaus ao público, a participação de Peter Murphy é um caso a parte.

Fome de Viver conta a história de Miriam (Catherine Deneuve), uma vampira antiga, e seu amante John (David Bowie) que vivem juntos por séculos e se mantêm vivos enquanto se alimentarem de sangue humano. Os dois preenchem as suas noites caçando jovens em boates, ouvindo Schubert e ensinando música a uma adolescente.

Porém toda essa tranquilidade secular é interrompida quando John começa a envelhecer rapidamente. Ele então procura pela doutora Sarah (Susan Sarandon), especialista em envelhecimento. A doutora acaba despertando o interesse de John e também de Miriam, e a partir daí as coisas não acabam bem.

A trilha sonora tem Bauhaus logo no início do filme, apresentando o que está por vir “Bela Lugosi is dead” é o cartão visitas da banda e explica bem o que são esses vampiros. Esqueça os estereótipos dos sugadores de sangue com capa e morcegos, o grande charme do filme é não os mostrarem como vampiros clássicos. A trilha também conta com Iggy Pop e Schubert.

Para quem gosta da estética gótica e de vampiros sofisticados, além de David Bowie é claro, Fome de Viver é um filme obrigatório.

Veja o trailer de Fome de Viver:

Abertura do filme com Peter Murphy e a música Bela Lugosi’s Dead:

 

Sou formada em Artes Visuais, apaixonada por arte, música, livros e HQs. Comecei escrevendo sobre música e me apaixonei pela escrita.

3 ideias sobre “Fome de Viver com David Bowie e Catherine Deneuve

  1. Definitivamente esse filme é um mega clássico, antes mesmo de “Entrevista com o vampiro”, Tony Scott nos presenteia com essa obra prima!

Deixe uma resposta