Bione é uma poeta pernambucana de 16 anos, ela começou a escrever suas poesias aos 11 anos. A vivência numa comunidade da periferia recifense é a força motriz do seus versos onde ela deposita seus questionamentos sobre temas que partem da individualidade para fazer ponte com temas urgentes da sociedade brasileira.

Racismo, violência urbana, machismo e misoginia são assuntos constantes em suas linhas que ela tece do quarto onde mora com a família na Zona Oeste da capital pernambucana. A voz de Bione encontrou, inicialmente, ouvidos nos eventos escolares e da sua comunidade. Foi em 2017, que ela saiu do anonimato, quando conheceu o Slam das Minas PE, onde participou da sua primeira batalha de rua e arrebatou a plateia com sua performance. A partir daí, seu trabalho ganhou notoriedade e conquistou um público cativo, que a acompanha em eventos diversos da capital ao interior do estado.

Entre suas principais aparições estão performances no Festival de Inverno de Garanhuns, onde abriu o show da MC Karol Conka, o Festival Rec’n’Play, Festival Arte da Palavra (Arcoverde), Cerimônia de estreia da Rádio Frei Caneca, Som na Rural, entre outros.

Leia também:
Evento BLACK Underground acontece 16 de novembro em Joinville
Free Fall From Space: Bam Bam lança material raro da era pré-grunge

Em 2018, a jovem poeta dedicou-se a participar de todas as etapas regionais que antecederam o Campeonato Nacional de Poesia Falada – Slam BR. Foi vencedora do Slam das Minas PE e concorreu na final estadual, onde conquistou o primeiro lugar e realizou o sonho de representar Pernambuco na competição que reúne poetas de todo país.

Aos 15 anos, lançou seu primeiro livro, Furtiva, em parceria com a editora independente Castanha Mecânica (do poeta Fred Caju). Atualmente, conta com o apoio da Aqualtune Produções, selo protagonizado por mulheres negras que tem como objetivo viabilizar artistas negras independentes.

Agora Bione lança a sua primeira mixtape “Sai da Frente” em primeira mão, no Festival No Ar Coquetel Molotov 2019. Com quatro faixas, o projeto traz as referências que formaram os ouvidos da cantora, que ficou conhecida pelo público pernambucano a partir da sua atuação no Slam das Minas PE. Rap, Funk e Trapp são gêneros que Bione tem muita familiaridade e que também compõem essa primeira aventura da artista no universo da música.

Bione - Sai da Frente

Confira a entrevista com a Bione sobre a sua carreira e o novo trabalho:

1 – Como foi abrir o show da Karol Conká e conhecer a artista. Ela teve alguma influência no seu trabalho?

B: Foi uma experiência muito importante, tanto pessoal quanto profissionalmente. Subir no palco do Fig abrindo o show de uma artista preta, que tem o empoderamento feminino como foco principal das suas músicas, me deu uma impulsionada e me empoderou ainda mais.

A influência dela no meu trabalho é justo essa ascensão da mulher preta dentro da arte ou qualquer lugar que ela queira estar.

2 – Você lançou o seu primeiro livro com 15 anos e agora segue para uma nova fase na sua carreira. Como é para você ter esse reconhecimento sendo tão jovem?

B: Eu acredito que não tem classificação etária para viver, entende? A sociedade não priva pessoas negras de viver realidades difíceis desde a infância. Eu escrevo sobre tudo isso, que também vivi, por mais que eu seja nova, eu vivo e faço parte de uma realidade que é a mesma para muitos jovens negros da periferia. O reconhecimento é só a confirmação de que o meu trabalho consegue me aproximar das pessoas como eu.

3 – Como estão os preparativos para o lançamento da sua mixtape?

B: Tudo se encaminhando da forma como tem que ser. Às vezes eu fico tensa, apreensiva, ansiosa, mas tenho aprendido inclusive dentro da produtora, que, para se lançar um trabalho como esse, de entrada na cena, a paciência é crucial. Já deu tudo certo.

4 – Alguns dos seus trabalhos recentes vão além de temas como racismo e empoderamento e falam também de relacionamentos amorosos. Por que você decidiu falar também sobre essa parte da sua vida?

B: Porque é importante falar de amor também. As pessoas têm uma ideia muito fechada da poeta marginal. Não tô aqui só pra falar do quanto a sociedade é racista e patriarcal. Eu também tenho um coração, também tenho um amor, também tenho vontade de amar e de escrever sobre isso.

5 – Quais são seus planos para a sua carreira em 2020?

B: Eu pretendo dar continuidade e avançar cada vez mais na cena do Rap e com outros gêneros também, conhecer mais gente e trocar experiências, estudar cada vez mais. Sem fazer muita promessa, sabe? Com os pés no chão. Quero trabalhar para fazer as coisas acontecerem…

Atualização

Ouça a Mixtape:

Saiba mais sobre o Festival:

Com Lia de Itamaracá, Clarice Falcão, Black Alien, Sevdaliza e Liniker & os Caramelows, TNT Energy Drink apresenta: No Ar Coquetel Molotov chega a 16ª edição em 2019

Festival acontece dia 16 de novembro no Recife

Depois de uma bela comemoração dos 15 anos em 2018, o festival pernambucano TNT Energy Drink apresenta: No Ar Coquetel Molotov realiza mais uma edição neste ano, que acontece dia 16 de novembro, no Caxangá Golf Country Club, no Recife. Além da apresentação pelo TNT Energy Drink, o evento também tem o patrocínio da Baterias Moura, Uninassau, Natura Musical, CEPE e cerveja Itaipava. Com nomes como a iraniana/holandesa Sevdaliza, Black Alien, Liniker e os Caramelows, a lenda Lia de Itamaracá, lançando novo disco produzido pelo DJ Dolores, a revelação do indie Terno Rei, a rapper Drik Barbosa, o DJ Gui Boratto, que, com sua presença, populariza ainda mais a relação entre a música eletrônica e o festival, MC Tha, Rosa Neon e a também pernambucana Clarice Falcão, a programação promete mais uma data inesquecível. Como já é o esperado, além da música, o evento ainda conta com a Feira Na Laje, que reúne marcas de moda da região, ações de sustentabilidade, igualdade de gênero e acessibilidade e atividades pela capital pernambucana nos dias que antecedem o festival, como a Mostra Play The Movie, Revérse na Rua com oficinas e festa na rua gratuita, além da segunda edição do Coquetel Molotov Negócios com talks sobre música e economia criativa. A programação completa será divulgada em breve, mas o evento vai acontecer no Apolo 235, entre os dias 13 e 15 de novembro, em parceria com o Porto+ e Porto Digital. Estão confirmados Pedro Vilhena, que trabalha há 15 anos com conteúdo digital para artistas, marcas e emissoras. Atualmente, é responsável por parcerias de conteúdo do Facebook e Instagram para o mercado musical no Brasil. Os jornalistas Luccas Oliveira, do jornal O Globo, e Tony Aiex, do site Tenho Mais Discos Que Amigos, também estarão presentes. E, ainda, a realização do Departameme de Aslan Cabral com a presença da Irmã Zuleide, a evangélica mais queridinha das redes sociais, com mais de 10 milhões de fiéis, conhecida por seu horóscopo certeiro. A ABMI é parceira na iniciativa e vai oferecer um dia de programação do projeto. E ainda, o No Ar mantém sua parceria com o Festival da Juventude, que vai acontecer dia 09 de novembro, no Parque da Macaxeira. A programação completa será divulgada em breve.

Desde a sua estreia, o No Ar tornou-se mais que uma imensa festa para os apreciadores de música e diversão e virou um espaço onde a diversidade é respeitada e incentivada. Um festival de resistência que preza pelo respeito e fortalece suas ativações com importantes parcerias, sendo o único que tem a  Women Friendly – Empresa Amiga da Mulher como parceira. Além disso, desde o ano passado, passou a fazer parte da Keychange, uma iniciativa internacional pioneira, que estimula o equilíbrio de gênero na programação dos festivais e encoraja as mulheres a transformarem o futuro da música.. Ingressos já estão à venda pela Sympla aqui.

Atrações

O palco Coquetel Molotov vai receber a revelação MC Tha, que traz um som mergulhado em referências de música brasileira e umbanda, a enigmática iraniana, radicada na Holanda, Sevdaliza, além do rapper Black Alien com disco novo, Abaixo de Zero: Hello Hell, do pernambucano Luiz Lins e Liniker & os Caramelows, que estreia no festival e vai apresentar a turnê do disco Goela Abaixo. O público vai poder conferir também a lenda Lia de Itamaracá, que fará o lançamento do álbum Ciranda Sem Fim, produzido pelo DJ Dolores. O novo disco de Lia, também guiado pela ciranda, apresenta músicas mais intimistas e românticas, mostrando ao público uma cantora que também consegue se reinventar. Para fechar a programação do palco principal, os DJs Coppola e Gui Boratto agitam o público presente.

Já no palco Natura Musical terá a rapper Drik Barbosa com novo álbum homônimo que será lançado no próximo dia 11 de outubro. Uana Mahin chega com canções do seu primeiro disco, Pantera, que transita pelo universo dos orixás, com referências que vão do jazz à salsa passando por vários elementos da música afro-brasileira. Com refrões chiclete e danças coreografadas simples, a banda Rosa Neon sobe ao palco pra todo mundo dançar com as músicas do primeiro álbum homônimo, já o grupo indie Terno Rei apresenta o disco Violeta, aclamado pela crítica especializada, OQuadro, diretamente da Bahia, também está confirmado com o segundo disco, Nêgo Roque. E depois de algumas especulações, a pernambucana Clarice Falcão confirma que retorna ao No Ar com o novo álbum Tem Conserto. E ainda terá o rapper Denov, uma apresentação especial da pernambucana Dani Costa e fecha com a DJ Cherolainne fazendo um b2b com o DJ JV, ambos do coletivo Revérse, do Recife, seguido da festa paulistana Gop Tun.

E no palco Sonic, a recifense Siba Carvalho apresenta canções de seu primeiro EP, Somos Um, lançado ano passado e que passa por questões acerca da espiritualidade, feminismo, preservação do meio ambiente e visibilidade LGBTQI+. Além dela, as também pernambucanas Aventura, Torre, Jurandex e Bione. Já Satanique Samba Trio vem do Distrito Federal e traz um som calcado em MPB instrumental com aspirações experimentalistas. E, pra fechar, os sergipanos da Taco de Golfe e a revelação Saskia, direto do Rio Grande do Sul, que recentemente lançou o disco Pqs. Importante ressaltar que, em parceria com o coletivo Nativa, a equipe técnica do palco será formada exclusivamente por mulheres. O Nativa é uma rede colaborativa criada com o propósito de encontrar maneiras de continuar mantendo as mulheres em atividade e de auxiliar as que desejam se inserir no mercado e não sabem por onde começar.

E, além dos três palcos, o público vai poder conferir Batestaca convidando MADDAM na Som na Rural.

PALCO COQUETEL MOLOTOV

MC Tha (SP) 

Lia de Itamaracá (PE)

Sevdaliza (Irã / Holanda)

Luiz Lins (PE)

Liniker e os Caramelows (SP)

Black Alien (RJ)

Coppola (SP)

Gui Boratto (SP)

 

PALCO NATURA MUSICAL

Uana Mahin (PE)

Clarice Falcão (PE)

Terno Rei (SP)

Rosa Neon (BH)

Drik Barbosa (SP) 

Denov (SP) 

Dani Costa, o show da queridinha (PE) 

OQuadro (BA)

Revérse Djs (PE) Cherolainne b2b JV 

Gop Tun (SP)

PALCO SONIC

Aventura (PE)

Siba Carvalho (PE)

Torre (PE)

Satanique Samba Trio (DF)

Taco de Golfe (SE)

Raça (SP)

Bione (PE)

Jurandex (PE)

Saskia (RS)

 

SOM NA RURAL

Batestaca (PE) convida MADDAM (PE)

 

SERVIÇO

TNT Apresenta

No Ar Coquetel Molotov 2019

Shows com MC Tha, Drik Barbosa, Rosa Neon, Sevdaliza, Black Alien, Gop Tun e Liniker e os Caramelows, entre outros

Local | Caxangá Golf Country Club – Av. Caxangá, 5362 – Iputinga
Data | 16.11
Horário | a partir das 13h
Ingressos LIMITADOS  | 

3º Lote: R$ 60,00 (meia), R$ 120,00 (inteira) e R$ 85,00 (social – levar 1 kg de alimento não-perecível)
Link para compra online | www.sympla.com.br/noar2019
Pontos de venda | Avesso (Avenida Rui Barbosa, 806) – seg a sexta, das 9h30 às 19h30 e sábado das 9h às 18h.
Formas de pagamento no local | Dinheiro 

Classificação indicativa para 16 anos desde que estejam com esta autorização por escrito e com firma reconhecida pelos seus responsáveis legais em duas cópias.
www.coquetelmolotov.com.br | www.facebook.com/noarcm

Categorias: Música Notícias